A MEDIAÇÃO DE VYGOTSKY EXERCIDA PELO PROFESSOR DE APOIO DE ESTUDANTES AUTISTAS

Autores

  • Bianca Harder Faculdade Fidelis
  • Bianca Renata Gracheki Faculdade Fidelis
  • Thiciane Pieczarka Faculdade Fidelis

DOI:

https://doi.org/10.53546/2674-5593.rc.2020.36

Palavras-chave:

Mediação, Estudantes autistas, Professor de apoio

Resumo

O professor de apoio de estudantes autistas tem o papel de mediar a aprendizagem e o desenvolvimento. Diante disso o objetivo dessa pesquisa foi analisar o processo de mediação dos professores de apoio de alunos autistas sob o olhar da teoria da mediação em Vygotsky. Essa pesquisa é qualitativa e exploratória e foi realizada com duas professoras de apoio através de entrevistas semiestruturadas. Após a coleta dos dados, foi realizada a transcrição das entrevistas e a análise dos dados a partir dos critérios de medição de Vygotsky. Nos dados coletados foi observado elementos condizentes com o conceito de mediação (instrumentos e signos). Os signos e instrumentos que as professoras de apoio de alunos autistas utilizam durante seu processo de mediação, são a linguagem oral, os colegas de classe, materiais didáticos e o ambiente da biblioteca. Percebemos a relevância de ampliar os conhecimentos sobre os conceitos de mediação de Vygotsky para auxiliar na formação de professores e, principalmente, na aprendizagem de estudantes autistas.

Biografia do Autor

Bianca Harder, Faculdade Fidelis

Discente do curso de Licenciatura em Pedagogia pela Faculdade Fidelis

Bianca Renata Gracheki, Faculdade Fidelis

Discente do curso de Licenciatura em Pedagogia pela Faculdade Fidelis

Thiciane Pieczarka, Faculdade Fidelis

Doutora em Educação pela UFPR. Docente do curso de Licenciatura em Pedagogia da Faculdade Fidelis

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION (APA). Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. 5. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC, 2008.

_____. Presidência da República. Casa Civil. Lei Nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 28 dez 2012.

CUNHA, Eugenio. Autismo e Inclusão: Psicopedagogia e práticas educativas na escola e na família. Rio de Janeiro: Wak, 2015.140p.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. 3ª edição. Porto Alegre: Artmed, 2009.

MENDES, Enicéia Golçalves; ALMEIDA, Maria Amélia; TOYODA, Cristina Yoshie. Inclusão escolar pela via da colaboração entre educação especial e educação regular. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 41, p. 81-93, jul./set. 2011.

PARANÁ. Secretaria do Estado da Superintendência da Educação. Instrução normativa n° 001, de 15 de janeiro de 2016. Estabelece critérios para a solicitação de Professor de Apoio Educacional Especializado aos estudantes com Transtorno do Espectro Autista. Curitiba. 2016.

RIPPER, Afira,V. Significação e mediação por signo e instrumento. Temas em psicologia. Ribeirão Preto, v.1,n.1,p.25-30,abr.1993.

STOLTZ. Tania. As perspectivas construtivista e histórico cultural na educação escolar. 3 ed.rev e ampl.- Curitiba: Ibpex p.58- 64. 2012.

ORRÚ, Ester Silvia. Autismo, linguagem e educação: interação social no cotidiano escolar. 2ª edição. Rio de Janeiro: Wak, 2009

ORRÚ, Ester Silvia. Contribuições da abordagem histórico-cultural na educação de alunos autistas. Rev Hum Med. Ciudad de Camaguey, v.10, n.3, p.1-11,dic. 2010.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos superiores. São Paulo: Martins Fontes. 2008.

VYGOTSKY, L. S., LURIA, A. R. Tool and symbol in child development. In: VAN DER VEER, R.; VALSINER, J. (Ed.). The Vygotsky reader. Cambridge, USA: Blackwell, 1994. p. 99-174.

WHITMAN, Thomas L. O Desenvolvimento do Autismo: Social, cognitivo, linguístico Sensório-motor e Perspectivas Biológicas. São Paulo: M. Books, 2015.

Downloads

Publicado

2021-03-17

Edição

Seção

Artigos